Preconceito - A erva daninha da humanidade

Por: Rita Ramos Cordeiro 

Em pleno século XXI, num momento de grande transição planetária, o ser humano se encontra enraizado em torno dos mais variados preconceitos, entre eles o preconceito religioso e o preconceito contra o ser humano.

Deus concedeu ao espírito o livre arbítrio para que o ser humano fizesse sua opção de escolha para seguir o caminho que melhor lhe aprouver.

Muitas dúvidas se encontram nesta questão, pois, a maioria das pessoas usa o livre arbítrio erroneamente.

O que é certo e errado?

A bússola que nos guiará para o caminho do bem se chama consciência.

É fato comprovado que a religião não muda interiormente o homem, mas sim a mudança que faz internamente, as escolhas e atitudes que toma durante a vida para torná-lo um homem de bem.

A religião apenas socializa o homem tirando-o de seu isolamento interior colocando-o em convivência com suas afinidades.

O que é certo ou errado encontra-se no coração e na consciência do homem, o respeito a todas as religiões é uma atitude de respeito, amor e caridade ao próximo.

O racismo ainda está presente atualmente camuflado pelo desconhecimento da caridade e amor ao irmão de jornada.

Ao invés do ser humano se unir num momento de grande mudança em todo orbe vibrando amor e paz, ainda carrega ignorância das verdades espirituais.

A maioria das pessoas ainda prefere se omitir contra as injustiças da vida, preferindo viver em seu mundinho íntimo, procurando acreditar ilusoriamente que tudo de ruim acontece distante dele.

O espírito invigilante emite através de pensamentos preconceituosos, julgamentos pré-concebidos, do bem que deixa de realizar, permitindo que as forças naturais se desarmonizem, emitindo vibrações negativas, fazendo com que a lei da ação e reação se volte para nós em algum momento da vida.

Infelizes daqueles que pensam que vivendo para si mesmos estão livres do mal que acontece ao seu redor.

A omissão por si só já é um grande mal que se realiza mesmo que inconscientemente.

Diante dos mais variados preconceitos existentes, diante do prejuízo que isso acarreta ao ser humano, há apenas uma luz a seguir no final do túnel.

Vivenciar os ensinamentos de Jesus seguindo seus exemplos não são fáceis, mas é preciso perseverar. 

É necessário primeiramente tirar do coração todo egoísmo e orgulho que está enraizado no coração do homem.

Sair da zona de conforto é o primeiro passo para a mudança interior. O segundo e mais importante a seguir é aceitar nosso semelhante com todos os seus erros, dando-lhe o direito que merece de escolher o melhor caminho a seguir, e amando-o e respeitando-lhe suas opções de vida.

Não é a cor, a raça, a religião ou a opção sexual do ser humano que o define como homem de bem.

São suas atitudes, seus plantios e seu amor ao próximo que define-o como tarefeiro de Jesus.

É o momento de eliminar esta erva daninha que é o preconceito, para se unir ao redor do bem.

Basta apenas que o amor, a compreensão e o respeito ao próximo faça parte da vida de relação.

Somos todos filhos de Deus, e como tal merecemos o direito de viver em paz, com igualdade, justiça, respeito e harmonia.

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA