Por:
Rita Ramos Cordeiro - Imagem: Pixabay/Efes

No romance espírita Lembranças que não se apagam, após um acontecimento traumático, Sheila, a personagem principal entra em coma por um breve período, e quando acorda tem lapsos de recordações de outra existência. Com o passar do tempo, estas recordações se tornam recorrentes fazendo com que ela entre em conflito, sem ter conhecimento sobre reencarnação e vida após a morte.

No decorrer do livro, o autor espiritual explica que, no caso de Sheila, a experiência traumática vivida por ela foi um gatilho para que as recordações de outra vida aflorassem, aumentado pelo medo, estresse e perturbação, por não saber o que se passava com em seu interior.

O Livro dos Espíritos explica que, para o espírito chegar à perfeição é preciso passar pela prova de uma nova encarnação.

O espírito passa por várias encarnações com a finalidade de evoluir, e a cada reencarnação, progride, abandonando suas imperfeições.

É necessário o esquecimento do passado para que o espírito possa ter uma nova oportunidade de convivência com aqueles que caminha lado a lado ao longo dos séculos.

O véu do esquecimento do passado é uma benção para a caminhada evolutiva do ser humano, pois, lembranças inesperadas de outras existências podem ser dolorosas, causar tristeza, raiva, ódio, culpa, arrependimento; por lembrar de atos cometidos pelo próprio espírito ou por outro, que não gostaria de se lembrar.

Se durante a vida de encarnado o ser humano não tem a lembrança da vida pretérita, tem a intuição e as tendências que traz em seu perispírito ou campo mental, que a consciência pode aflorar em algum momento da vida. Não é necessário lembrar de quem foi em outra vida, basta estudar quem é no presente, e poderá julgar como procedeu no passado.

As vicissitudes da vida corpórea são, expiações das faltas do passado e provas para o futuro.

A cada existência o homem tem mais inteligência e pode melhor distinguir o bem e o mal.

Por que então, Deus permite a recordação de outras vidas?

As recordações do passado acontecem pelo consentimento dos Espíritos Superiores, que o fazem espontaneamente, com um fim útil, jamais por curiosidade.

Podem também surgir sem causa aparente, com a permissão Divina, como flashes, e muitas vezes são aprendizados solicitados pelo próprio espírito, antes de reencarnar.

Em muitos casos as recordações do passado cessam com o tempo, naturalmente, sem traumas. Em outros casos, se prolongam causando sofrimento e conflitos íntimos, e geralmente quem sofre necessita de ajuda para se curar.

A TVP – Terapia de Vidas Passadas é um instrumento para tratar e resolver este sofrimento, proporcionando alívio para superar traumas, trazendo uma melhor qualidade de vida.

A TVP não faz parte de nenhuma religião, mas é uma realidade recomendada em casos graves, e não por curiosidades; podendo trazer a cura para quem sofre com recordações de outras existências guardados no perispírito.

Para recorrer a TVP é importante ficar atento para buscar profissionais sérios, habilitados e especializados, como terapeutas e psicólogos.

Seja qual for o motivo das recordações de outras existências, será sempre um aprendizado para o espírito, para assim, buscar ferramentas para melhorar o seu presente e seu futuro através do autoconhecimento, espiritualidade e qualidade de vida.

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA