Diferença entre o passe espírita e a bioenergia


Por: Rita Ramos Cordeiro

Bioenergia é o termo empregado para definir a troca de energia que é transmitida através das mãos pela técnica do toque ou pela imposição das mãos, e é utilizada em várias correntes filosóficas religiosas. Surgiu há milhares de anos, se mantém viva até os dias atuais recebendo várias denominações, sendo  considerada, como uma terapia alternativa focada no equilíbrio do espírito, do corpo e da mente.

Já o passe é a transfusão de fluidos magnéticos vindas do alto, por influência da espiritualidade superior transmitida pela imposição das mãos do médium espírita na direção do assistido, tendo por objetivo ajudar a recuperar sua harmonia orgânica e psíquica. Tanto a transmissão quanto a recepção estão diretamente ligadas à vontade e confiança de quem doa e quem recebe.

O Espiritismo é muito criterioso com as terapias utilizadas sob sua égide. Todavia, na atualidade existem casas espíritas que utilizam terapias alternativas para tratamento de seus assistidos, e que mesmo, úteis não são fundadas na doutrina, o que leva a compreensão equivocada do que é o próprio passe.

Exatamente por isso esclarecemos que a bioenergia não é uma prática espírita, e não é utilizada com esse nome nas casas que seguem a Doutrina Espírita. O Espiritismo respeita espiritualistas, mas prima pelo estudo e conhecimento para aplicar o passe na forma que foi orientada pelos espíritos superiores através das obras espíritas codificadas por Allan Kardec.

Independente de sua utilização em qualquer vertente religiosa a energia utilizada como doação, e fonte de cura é sempre o fluido cósmico universal tão bem explicado na Doutrina Espírita, havendo benefícios por sua utilização comprovados em qualquer uma delas.

Efetivamente, não importa qual a religião e o nome dado para a transfusão de energia, o importante são os resultados e benefícios atingidos por quem procura para amenizar as dores da alma.

Geralmente são oferecidas gratuitamente, pois é considerada uma energia recebida pelo Alto para os benefícios das almas, sendo assim, e recordando o alerta do Cristo, deve ser doada e não cobrada.

Para quem não tem afinidade com a Doutrina Espírita a ponto de aceitar receber o tão conhecido tratamento espiritual através do passe pode se informar em outra vertente ou segmento religioso sério e idôneo, o qual, apesar de mudar o nome do tratamento terá o mesmo objetivo, que é o da transfusão de energia, melhoria do corpo e apoio na cura da alma.

Seja qual for a religião que escolhemos para cuidar das dores da nossa alma o importante é observar que Deus está em todos os grupos que transmitem e cultivam amor.

A religião certa será, portanto, aquela com a qual sintonizamos, e que recebe de braços abertos todo ser humano que nela busque acolhimento, sem preconceitos de cor, raça, gênero, cultura ou grau social, sempre com o objetivo superior de acolher amorosamente!

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA