Por:
Rita Ramos Cordeiro

Recentemente li um texto sendo atribuído a um renomado cientista estrangeiro de uma renomada Universidade americana onde ele citava vários itens de como agir com a higienização e cuidados com o coronavírus.

A intenção dava a impressão de prevenção e orientação, porém ao ler todos os tópicos o meu bom senso não concordou com uma ou outra orientação do doutor, apesar de grande parte do texto parecer estar correta.

 

Ora, quem sou eu para discordar de um renomado cientista não é? Eis o grande problema!

Como podemos ter certeza que aquele texto era realmente do renomado cientista? Não havia nenhum link de referência para que pudéssemos consultar a fonte de origem.

Um texto em português citando o nome de um cientista e de uma Universidade conhecida não significa veracidade.

Em épocas de fake news todo cuidado é pouco! Existem "quadrinhas" criadas especificamente para espalhar mentiras e caos e confundir o povo se utilizando de nomes de pessoas idôneas e conhecidas para isso.

São pessoas desonestas que camuflam textos aparentemente corretos, porém infiltram frases mentirosas fora de contexto para confundir as pessoas.

Geralmente fazem isso com pessoas que já estão em dúvidas com determinados assuntos ou com pessoas que querem ouvir exatamente aquilo.

Não devemos acreditar em tudo o que se lê nas redes sociais e internet mesmo que esteja supostamente em nome de pessoas conhecidas e que sejam compartilhadas por amigos e pessoas de confiança. Amigos também podem se equivocar.

Antes de mais nada, procuremos a fonte original, a credibilidade da origem da fonte. Procuremos descobrir se tal pessoa realmente disse ou escreveu tais palavras.

É de extrema importância que não sejamos cúmplices de mentiras e maledicências para não sermos também responsáveis pelo prejuízo que vier daquela ação.

Não façamos mal a ninguém com nossas ações invigilantes!

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA