Por:
Rita Ramos Cordeiro

Deus não é vingativo! É amoroso e acolhe todos os seus filhos. Suas leis são misericordiosas e justas.

Uma das ferramentas mais abençoadas que Deus nos concedeu foi o livre arbítrio, para utilizarmos da forma que desejarmos, mas mesmo assim nosso campo de ação é limitado porque existe a lei da "causa e efeito". Significa que, dependendo de nossas escolhas, boas ou más, responderemos por ela.

 

Deus não pune, Ele educa, dá a todos oportunidades de fazer escolhas, sejam elas boas ou más, porém, cada um é responsável por seus erros e acertos.
As dores e sofrimentos são opcionais, mas quando acontecem são educativos e formas de reajustes.

O que se planta, colhe. Geralmente esta colheita ocorre no curso da própria existência, mas quando isso não acontece, outras encarnações serão necessárias para corrigir os erros cometidos.

Ninguém nasce com o objetivo de errar, e sim evoluir.

Deus concede o esquecimento de vidas passadas para termos a oportunidade de fazer diferente e corrigir erros a cada nova encarnação.
Se pelo amor ou pela dor, vai depender do que plantarmos em nossas existências.

A morte não deve ser vista como algo ruim.

Ninguém morre antes do tempo programado, a não ser pelo suicídio consciente ou inconsciente.

Da mesma forma que o nascimento é a passagem de entrada para uma nova oportunidade de crescimento, a morte é a viagem de volta para casa, é a libertação do espírito!

Se esta viagem de volta acontece no momento certo ou não, somente o reencarnante e a equipe de espíritos responsáveis por esta programação, podem saber.

Muitas vezes, enquanto espíritos, nos é dada a oportunidade de escolher como reencarnaremos. Nosso espírito, ainda sob os efeitos benéficos dos aprendizados adquiridos no plano espiritual acredita ter condições de passar por qualquer prova na Terra, seja uma encarnação curta ou longa, mas a visão como encarnados é um pouco diferente do espírito, e já no corpo de carne, por vezes acreditamos que não vamos dar conta das provações, podendo até sucumbir, esquecendo a que viemos.

Não viemos à Terra em férias, aqui estamos para crescer espiritualmente, amar nossos semelhantes, fazer o bem, evoluir, e voltar para casa, no Plano Espiritual.
De que forma voltaremos dependerá do que realizarmos em vida, por boas ou más escolhas.

Sejam quais forem estas escolhas, responderemos pelo bom ou mal uso de nosso livre arbítrio.

Que possamos dar o nosso melhor, e assim, voltar para casa com o sentimento de dever cumprido, sem culpas, sem arrependimentos, para não precisarmos refazer os mesmos caminhos. A escolha é nossa!

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA