Paz de espírito - mente sã, corpo sã

Nem tudo é culpa dos espíritos e nem tudo é obsessão.

Na grande maioria das vezes nossos próprios defeitos, falhas e imperfeições são os responsáveis pelos nossos erros.

Nem sempre nossas posições fortes e determinadas são falhas ou erros, algumas vezes podem pecar pelo excesso, mas isso não significa que sejam culpa dos espíritos obsessores.

É preciso tomar muito cuidado em colocar nos espíritos as responsabilidades que são exclusivamente de nossas ações.

Ficaria fácil demais se assim fosse, pois não assumiríamos jamais o juízo de nossas decisões ou atitudes.

Não podemos moldar nenhum ser humano pelo nosso jeito de ser ou agir.

O que muitas vezes pode ser errado para alguns, não é para outros.

O que pode ser conflitante para uns, não é para outros.

Colocar cada ação na responsabilidade dos espíritos é não conhecer a mente humana.

Acreditar que divergências de opiniões são conflitos ou falta de paz é olhar o mundo por uma lente desfocada.

Discordar e debater sobre assuntos destoantes com civilidade, educação e respeito não é culpa de espírito e nem obsessão. Pode ser simples responsabilidade de quem se importa em esclarecer dúvidas.

Cada ser humano, espírito eterno, enxerga a vida diferente do outro.

Só vê conflitos e espíritos em tudo quem ainda tem muito o que aprender sobre o psiquismo humano.

Nunca é tarde para aprender, porém sempre é cedo demais julgar e agir irrefletidamente desconhecendo de todas as engrenagens de nosso corpo, mente e alma.

Por: Rita Ramos Cordeiro

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA