Somos resultado de nossas escolhas

A Doutrina Espírita nos ensina que Deus criou todos os espíritos, simples e ignorantes, sem conhecimento algum. 

Deu a cada um deles uma missão com o fim de esclarecer e concedeu-lhes inúmeras existências e a oportunidade de adquirir conhecimento através de provas que lhe possibilitarão a evolução e perfeição ao longo deste aprendizado.

Cada conhecimento adquirido não se perde e o espírito jamais retrocede. Pode estacionar, mas não retrocede.. 

Deus concedeu-lhes também o livre arbítrio, que se desenvolve a medida que o espírito toma consciência de si mesmo. 

Sendo assim, todos somos resultado de nossas escolhas.

Dizer que vivemos num mundo ruim ou num país em decadência, é não querer aceitar a verdade sobre nós mesmos.

Dizer que nosso país e nossos políticos não prestam, é não querer aceitar a verdade sobre nós mesmos.

Vivemos com o resultado de nossas escolhas! Temos opções e caminhos a seguir e escolhemos o que nos convêm.

Não podemos dizer jamais que somos enganados ou que somos inocentes. Temos escolhas! Temos opções! Temos valores! Temos moral e ética!

Independente de termos ou não uma religião, acreditarmos ou não num Deus. Aceitarmos ou não Jesus, temos uma consciência e ela nos cobra! 

Esta essência existe em nós, queiramos ou não. Está embutido e enraizado em nosso ser.

Sabemos o que é certo e o que é errado e seguiremos o caminho que desejarmos. 

Sendo ricos ou pobres, sempre temos uma escolha, uma opção e um caminho. 

A falta de dinheiro não nos exime da responsabilidade de ser decentes e éticos. 

Como a riqueza não nos exime de ser honestos e honrados. 

Não existe meio termo para o bem e para o mal. Ou se é bom ou se é mal. 

Ou se escolhe o caminho do bem ou se escolhe o caminho do mal. Como saber qual é o caminho? Para quem tem o conhecimento de uma religiosidade, é cristão, pode seguir os mandamentos de Jesus e sem medo de errar seguirá o caminho do bem.

Para quem não acredita em nada disso, tem a essência de sua própria consciência dentro de si, do que é certo e do que é errado e também tem condições de escolher o caminho do bem ou do mal. 

Dizer que a culpa de nosso país passar por este momento difícil é apenas dos políticos corruptos, não é totalmente verdade. Precisamos rever nossos valores que estamos acostumados com o antigo bordão do "rouba, mas faz". Os fins não justificam os meios. 
Não somos marionetes, somos espíritos individuais que temos o livre arbítrio de escolher o caminho que achamos correto! 

Sendo assim, deixemos de culpar apenas quem está lá em cima, e passemos a responsabilizar também a nós mesmos pelas escolhas erradas que tomamos no meio do caminho. 

Sempre temos uma escolha e ela sempre deve ser pautada nos ensinamentos de Jesus! Assim feito, não erraremos o caminho!

 

Por: Rita Ramos Cordeiro 

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA