Por: Rita Ramos Cordeiro 

Na correria de nosso dia a dia, não percebemos que existem pessoas ao nosso redor, que não tem a sorte de ter uma família, um emprego, casa, etc.

São pessoas que passam muitas vezes ao nosso lado, emitindo através do olhar, um pedido de socorro, uma súplica silenciosa, buscando ajuda para seus problemas. Estas pessoas, sem ter a quem recorrer se envolvem na marginalidade, nas drogas e até na prostituição.

Existem, porém, pessoas que apesar da correria de seu dia a dia, se preocupam com nossos irmãos desfavorecidos e arrumam tempo para se dedicar voluntariamente ao socorro dos mais necessitados.

São pessoas com sentimento de amor ao próximo, que por afinidade o objetivo de ajudar seu semelhante.

Estas pessoas, percebendo a urgência de iniciar um trabalho assistencial, se juntam a uma Instituição Beneficente, ou a grupos de pessoas informais,  muitos destes grupos, com o objetivo da solidariedade acabam fundando uma Instituição Beneficente.

Quantos de nós nem sabe da existência destas Instituições em nossa própria cidade, até mesmo em nossa própria comunidade e nem imaginam o esforço e a luta que estes abnegados companheiros enfrentam para realizar um trabalho tão dignificante.

Pensamos erroneamente, que se não ajudarmos uma Instituição ou um desfavorecido da vida, alguém o fará. Com isso estamos comodamente nos afastando de uma responsabilidade que também é nossa.

É diante deste desinteresse e desta falta de informação, que inúmeras Instituições lutam bravamente com a colaboração de poucos voluntários, que se prontificam ao trabalho edificante da solidariedade e amor ao próximo.

São pessoas anônimas, que além da dedicação que dão à família e ao seu emprego, também se preocupam com a causa social e buscam apenas partilhar o ensinamento que Jesus nos deixou, o “Amar ao próximo como a si mesmo”.

Atualmente, a Internet tem um papel muito importante em nossa vida, e pode auxiliar nesta busca do conhecimento e da procura às Instituições Beneficentes idôneas, que poderemos ajudar de muitas formas, até mesmo sem sair do conforto de nosso lar. Vamos então amigos leitores, começar hoje, na prática do voluntariado, para construirmos um futuro melhor, com uma sociedade mais justa e humanitária para que nossos filhos e netos sigam nosso exemplo de solidariedade e amor ao próximo.

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA