Por: Rita Ramos Cordeiro 

Hoje é um dia muito especial para todas as mães e filhos que ainda podem comemorar esta data.

Também é um dia triste para os filhos que já perderam as mães e para as mães que ja perderam seus filhos.

Com certeza ser mãe é um sentimento indescritível de amor intenso, mas o que poucos sabem ou se lembram é que nesta vida, "estamos mães" ou então "estamos filhos"

Sim, porque é somente através da bendita reencarnação que podemos ser mãe, pai, filho e outras tantas possibilidades.

A família espiritual que Deus nos concedeu é infinita e a cada encarnação esta família aumenta mais.

A mãe, pai, filho de ontem, pode ser hoje alguém que passa em nossa vida apenas por um curto espaço de tempo e se vai, seguindo seu caminho.

Mãe, pai ou filho de ontem, pode ser hoje nosso irmão de caminho que precisa de ajuda, amparo, consolo ou então de uma palavra amiga e que hoje viramos as costas.

São tantas e infinitas as possibilidades, que somente ao voltarmos ao Plano Espiritual, nosso lar de origem, é que olharemos para trás, procurando compreender o que fizemos de nossas vidas.

Quantas e quantas decepções, e culpas passarão por nossos espíritos ao ver que pouco fizemos para aqueles que um dia fizeram parte de nossa vida, nem que seja por minutos, mas que um dia, seja em qual passado for, foi alguém que amamos.

Para que o remorso ou a tristeza não nos acompanhe no além-túmulo deve não deixemos nada mal resolvido.

Procurar sempre, na medida do possível, se reconciliar com nossos irmãos de jornada.

Procurar amar o nosso próximo, que talvez seja muito mais próximo do que imaginamos.

O Amor é a base fundamental para preservar os laços familiares, ainda nesta vida, e também no mundo espiritual.

Quando acreditarmos que o mundo e o Universo não se resume apenas a nós mesmos, aprenderemos a amar nosso semelhante, indistintamente e assim a Paz e a felicidade fará parte de nossa vida e consequentemente não carregaremos culpas e remorsos.

Esta é a importância de amar, de dizer eu ti amo,  ti perdoo, me desculpe pelo mal que lhe fiz, de corrigir nossos erros.

Este é o caminho para a paz interior que tanto desejamos e estará sempre  ao nosso alcance, e para isso basta apenas que vivenciemos o Evangelho de Jesus, seguindo seus passos em busca da fraternidade e da solidariedade por todos nossos irmãos de jornada.

 

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA