Recentemente li um depoimento de um jovem de 15 anos que durante algum tempo viveu em um abrigo, sem poder ter uma família e um lar.

Um comovente depoimento que levou muitas pessoas às lágrimas ao conhecer um pouquinho de sua história, seus medos e inseguranças.

Sentindo-se feliz, amado e amparado, ao encontrar uma família, desejou contar ao mundo sua felicidade.

Emocionante ler que ele tem orgulho de dizer com todas as letras que ama seus pais e que eles são incríveis. Não há como não se emocionar.

Mas será que a emoção e comoção pela linda história ainda será a mesma ao se descobrir que os pais deste corajoso jovem de 15 anos são homossexuais?

Quantos de nós pode continuar achando lindo, emocionante e comovente esta linda história?

Para as pessoas que entendem o verdadeiro sentido do amor e do ser cristão, a emoção continuará a mesma, mas para as pessoas que tem o preconceito e a hipocrisia enraizados no coração, não terão os mesmos pensamentos e sentimentos.

Nos dias de hoje vemos tantas discriminações e pré-julgamentos pelas atitudes, escolhas e comportamentos das pessoas, que geralmente nos esquecemos de nos olhar no espelho para descobrir quem somos de verdade.

É mais fácil apontar o dedo para o próximo do que corrigir as más tendências que trazemos em nosso espírito.

O ser humano tem a maior facilidade em discriminar, criticar, pré-julgar, desprezar e excluir pessoas sem procurar saber o que se passa em seus corações e seus sentimentos.

Mas tem grande dificuldade em procurar olhar para dentro de si, tentando descobrir as mesmas imperfeições que acha tão facilmente em seu irmão de jornada.

Nos explica o dicionário que hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes, ideias e sentimentos que a pessoa na verdade não as possui.

E assim caminha o ser humano, se escondendo atrás de máscaras que apenas o distancia de seu aperfeiçoamento espiritual.

Triste escolha do ser humano, que não sabe o que é viver verdadeiramente e passa pela vida como autômato, desconhecendo a si mesmo como espírito imortal.

Não consegue ainda visualizar que colherá o que plantar.

Não consegue ainda entender que o amor não tem sexo, cor, raça e nenhum tipo de dogma religioso.
Feliz daquele que ama seu próximo sem nenhuma distinção de credos...

Feliz daquele que consegue compreender os verdadeiros ensinamentos de Jesus, que é amar ao próximo como a si mesmo, desejando para o próximo o que deseja para si mesmo.

Abençoado jovem de 15 anos que já tirou de seu coração todo preconceito e hipocrisia e escolheu amar e ser amado com toda pureza de seu coração.

Dia virá em que nos desprenderemos de todas as máscaras que optamos por carregar para aprender o verdadeiro sentido do amor.

Que este dia se aproxime sem precisarmos aprender tudo isso sem precisar ser através do sofrimento e da dor.

E se você já se encontra neste caminho em busca deste amor que Jesus nos ensinou, se emocione também com esta linda história, acessando o link:

http://www.viveramornafamilia.web2233.uni5.net/index.php/artigos/97-a-vida-ensina 

Por: Rita Ramos Cordeiro

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA