Por: Rita Ramos Cordeiro

Não me recordo de já ter visto anteriormente tantos acontecimentos ruins como atualmente.

É a violência em todos os patamares, corrupção, guerras, mudanças climáticas.

É a depressão se tornando comum na vida do ser humano.

Também não me recordo de já ter visto tantas pessoas fazendo o Bem, como atualmente.

São pessoas que se importam com o bem-estar do próximo, e procuram ser caridosos, amorosos, atenciosos com o ser humano sem nada exigir em troca.

Também não me recordo de ter olhado ao meu redor como tenho feito atualmente.

Percebi olhando ao meu redor, deixando de pensar em mim por breves instantes que há vida a minha volta.

Existem pessoas maldosas e egoístas no mundo como também existem pessoas boas, interessadas e compenetradas a realizar o Bem.

Com certeza vivemos momentos difíceis, mas a proporção que damos-lhes depende de nós mesmos.

Depende de nós alimentarmos o monstro que anda solto por aí ou domá-lo com nossa sabedoria e sensatez.

A visão enegrecida que temos do mundo só pode ser vencida pela luz que levamos no coração.

Viver ou não num mundo que nos tira a paz depende da paz que levamos no coração.

Não podemos mudar o mundo, a nossa volta, mas podemos mudar o mundo que temos em nós.

É nosso dever lutar não somente pelos nossos direitos, mas também pelo direito de nossos irmãos.

Ser íntegro, honesto e justo ainda não está em extinção. É necessário sair da inércia em que tão comodamente nos colocamos para fazer a nossa parte em tornar um mundo melhor. Este sim, é o princípio para novos tempos.

 

 

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA