Amor incondicional ou submissão?

Por: Rita Ramos Cordeiro 

Tenho visto alguns casos na Internet que se confundem com o título deste texto.

Muitas pessoas confundem o amor incondicional com a submissão e a falta de amor-próprio.

Apesar de ser ainda para poucos, o amor incondicional ama sem exigir nada em troca. A felicidade de amar incondicionalmente está em ver o ser amado feliz, mesmo que não se retribua este amor.

Mas amar incondicionalmente não significa compactuar com traições, ofensas, violências, desrespeito, desprezo, falta de educação, entre tantos outros atos menores, isto chama-se falta de amor-próprio.

Apesar do amor incondicional respeitar as escolhas e caminhos do ser amado, não compactua ou é conivente com seus erros, isso chama-se submissão.

O amor incondicional aceita, respeita e compreende os erros e imperfeições do ser amado, mas não se vê obrigado a ser subserviente com seus caprichos e vontades.

Ama-o sempre, procura mostrar caminhos, mas deixa-o livre para seguir suas próprias escolhas e consequências de seus atos.

O amor incondicional sempre amará e estará a postos para auxiliar quando for solicitado, mas seguirá também seu próprio caminho sem a simbiose doentia que tanto machuca os desavisados que confundem este sentimento tão sublime, pois, no final o amor incondicional não dá nós, ele apenas enfeita com lindos laços de amor.

 

Cadastre-se em nosso informativo

CAPTCHA