Domingo, 01 Abril 2018 21:44

Todos tem um criança dentro de si



E um dia nós crescemos, nos tornamos adultos.

Muitos se casam e tem filhos, outros se tornam grandes profissionais do mundo e outros se empenham e abraçam grandes causas.

Mas todos crescem e a grande maioria esquece aquela criança que um dia morou dentro de si.

Uma criança alegre, brincalhona, pura das maldades da vida e do mundo.

Uma criança protegida por todos!

Mas um dia crescemos e erroneamente deixamos de ter estes belos sentimentos de criança.

A pressa em crescer, em ter independência e desbravar o mundo aos poucos nos afasta daquela criança que um dia fomos.

Precisamos cuidar de outras pessoas, trabalhar para sustentar uma família e tentar fazer o mundo se tornar melhor. Acreditamos que para fazer tudo isso, precisamos ser sérios, sisudos e muitas vezes tristes.

Durante a vida nos decepcionamos, sofremos, caímos, tropeçamos, erramos e acreditamos que não podemos mais ter aqueles sentimentos que tínhamos quando crianças.

Este é o maior engano que um ser humano pode cometer! Deixar de ser o que era, para se tornar o que a sociedade, a família e o mundo exige que sejam.

E com isso, aquela criança vai ficando cada vez mais distante de nós, adultos, tristes e muitas vezes, frustrados.

O que não entendemos é que os doces, belos e descontraídos sentimentos de criança podem permanecer conosco durante toda a vida, porque são sentimentos que estão na alma e no coração e não na idade biológica e responsabilidade que o mundo nos cobra.

Como diz a música no link abaixo: "...porque a gente quer crescer e quando cresce quer voltar no início, porque o joelho ralado doí bem menos que um coração partido..."

Mas deixar que um coração partido seja mais doloroso que um joelho ralado, depende de cada um de nós.

É a escolha de cada um entender a dor e os processos de crescimento da forma que conseguir superar...

Importante seria que nossa alma continuasse uma criança alegre e pura de coração mesmo com toda a maldade do mundo, pois a normalidade e a visão do que é ruim, depende única e exclusivamente da forma que enxergamos o mundo.

Que possamos voltar a ser crianças de alma mesmo quando o mundo exigir de nós que sejamos adultos responsáveis...

Lutemos por isso para que a felicidade se torne algo natural em nossas vidas...

E aqui vai uma bela música para complementar o texto https://goo.gl/6Ddqou


Por: Rita Ramos Cordeiro