Quinta, 13 Abril 2017 18:46

Desrespeito e descaso aos idosos

Ontem, assistindo a uma reportagem na televisão sobre o desrespeito e descaso aos idosos, fiquei impressionada com o comportamento pouco caridoso dos seres humanos.

Não são somente pelos hospitais públicos e outros orgãos que é lamentável o tratamento dado aos nossos velhinhos.
O próprio ser humano ainda não consegue vivenciar o verdadeiro amor ao próximo.

São casos e casos de descaso e desrespeitos à terceira idade.

Esquecemos que um dia lá chegaremos também e necessitaremos do apoio, compreensão e atenção dos mais jovens, nesta fase tão delicada da vida.

Sentiremos na pele como é difícil não ter a atenção e cuidado necessário numa fase em que o corpo físico já não responde tão sadiamente ao comando de nosso cérebro.

O grande consolo em toda esta situação é saber que este quadro pode ser revertido a qualquer momento se assim o desejarmos.

É de extrema urgência que passemos a respeitar ao próximo, principalmente aos idosos, como gostaríamos de ser respeitados e amados.

Não espere que a "Lei da Ação e Reação", ou o "Colheremos o que plantarmos" nos ensine o verdadeiro sentido da vida que é o amor ao próximo.

Oferecer auxílio a um idoso ou doente num momento de dor e sofrimento, ou levantar-se de uma confortável poltrona de um ônibus, metrô ou em qualquer outro ambiente para dar lugar a um idoso, além de ser uma questão de obrigação e respeito ao cuidado com os nossos idosos, é também uma questão de Amor, Solidariedade e Fraternidade.

É vivenciar o amor que Jesus nos ensinou.

É mostrar a nós mesmos que apesar de tantas dificuldades nesta nossa Terra de Provas e Expiações, ainda respeitamos o próximo como irmãos que necessitam de amor, como a nós mesmos.

É deixarmos de lado o egoísmo e passarmos a entender que o mundo não gira em torno de nós mesmos.

É compreender que a felicidade está dentro de nós e para obtê-la, precisamos aprender a amar verdadeiramente e incondicionalmente.

Enfim...é acreditar que o mundo pode ser tornar um lugar repleto de Paz e Amor, se o exemplo começar em nós mesmos.

Por: Rita Ramos Cordeiro