Quinta, 13 Abril 2017 03:45

A vida como ela é

É comum em nosso dia a dia, mudanças de humor que muitas vezes desestabilizam as emoções.

Sentimentos de tristeza, raiva, ódio, medo são normais desde que procuremos analisar estas emoções para que não façam parte de nossa vida de relação.

Na maioria das vezes, ao se vivenciar estas emoções são ditas palavras que em situações normais não seriam sequer pensadas.

Atitudes são irrefletidamente tomadas por impulso, sem ter o discernimento de sentir, pensar e agir.

Sentimentos como mágoa, orgulho e ressentimento chegam primeiro ao coração, gerando dificuldade de auto-controle interno.

O fato é que muitas vezes, nestas ocasiões, são desfeitos laços de amizade, conjugal ou parental de difícil solução.

Quinta, 13 Abril 2017 03:44

A vida é feita de escolhas

Todo ser humano nasce para ser feliz e assim projeta seus sonhos.

O desejo é sempre ter o melhor dos melhores, uma linda família, cônjuges com juras de amor eterno...

Quem não planeja ter tudo isso em sua vida?

Por determinado tempo, almejamos e temos sucesso, somos felizes no amor em família, somos respeitados pela sociedade e tudo se encaminha de acordo com nossos planos.

Até que do nada – pelo menos assim definimos – a vida desanda e tudo passa a dar errado.

Os amigos que assim se intitulavam desaparecem, as pessoas que mais amamos deixam de nos compreender e muitas vezes nos magoam e nos decepcionam com palavras que nunca acreditamos serem ditas.

Em 2011, tudo o que eu queria era engravidar, ser mãe.

Apesar de ter 20 anos, casada há um ano, queria muito ter um filho.

Quando eu e meu marido resolvemos que queríamos ter um filho, simplesmente deixei acontecer, mas não tomei nenhuma vitamina, e as cartelas da pílula anticoncepcional era uma bagunça.

Finalmente descobri que estava grávida, e este foi o momento mais feliz da minha vida.

Aos 12 semanas de gestação, fiz meu primeiro ultrasson, tendo a companhia de meu marido e de minha mãe. Foi quando descobri que meu bebê tinha uma má formação no cérebro.

Na ocasião, seguimos urgentemente para o consultório de meu ginecologista, desta feita, acompanhada também por meu pai.

Meu médico, com todo carinho me disse que eu precisava ser forte e fazer uma escolha, pois meu bebê não sobreviveria muito tempo, e que eu teria legalmente o direito de fazer o aborto, se assim o desejasse.

Entrei em choque ao descobrir que meu amado bebê tinha anencefalia, ou seja, ausência de cérebro ou parte dele.

Quarta, 12 Abril 2017 19:27

A força do coração

A força que necessita para vencer suas dificuldades, sentimentos e pensamentos negativos está dentro de você.

As orações e o amparo divino lhe fortalecerão o espírito para vivenciar estes momentos, porém ninguém pode passar por uma prova que é só sua.

Você é capaz de vencer a tristeza, esta erva daninha que corrói sua alma.

Respira fundo, olhe a sua volta e observe a benção da vida que o Pai da Vida deixou para ti.

Observe quanto sofrimento, dor e necessidades passam seus irmãos de jornada e verá que sua dor é mínima diante do sofrimento que muitos passam.

Agradece ao Pai pela saúde que tem e que muitos gostariam de ter.

Agradece pela família que tem e que muitos desejariam ter.

Agradece pelos amores que fazem parte de sua vida, quando tantos nem amados são...

Alivia sua dor, acreditando que tudo é passageiro...